imprimir

A onda de ofertas de modelos movidos a diesel nos Estados Unidos fez com que as vendas de carros com essa motorização aumentassem em 2011, e a previsão é que o mercado continue crescendo cada vez mais. Projeções indicam que, até 2015, carros a diesel representarão mais de 6% dos veículos comercializados.

Em 2011, foi registrado um crescimento de 27,4% no índice de vendas de carros movidos a diesel nos Estados Unidos, segundo pesquisas de mercado feitas pelo portal HybridCars.com e pela Baum and Associates. Levando em conta que o crescimento do mercado automobilístico norte-americano no ano passado foi de 10,2%, os motores diesel cresceram acima do mercado.

Enquanto o diesel subiu, os híbridos caíram. O ano fechou com uma queda de 2,2% nas vendas deste tipo de veículos. A maior demanda por carros movidos a diesel se deve a lançamentos de modelos como o Volkswagen Jetta com motor turbodiesel, que já faz sucesso na Europa. Agora, os modelos a diesel com tradição de boas vendas no continente europeu começam a conquistar o consumidor norte-americano.

O aumento na procura por essa motorização faz com que os modelos que chegam ao mercado americano sejam oferecidos com propulsor diesel, até em segmentos onde antes a gasolina reinava sozinha. É o caso da sucessora da Dodge Dakota, que passará a pertencer à Ram, que agora é uma marca.

De acordo com dados da Diesel Technology Forum – organização sem fins lucrativos que busca conscientizar as pessoas em relação à importância dos motores movidos a diesel –, hoje em dia, cerca de 3% do volume de vendas de carros nos EUA equivale à comercialização de carros movidos a diesel, mas o cenário deve mudar. A organização prevê que até 2015, essa fatia deva ultrapassar os 6%, chegando a 7,4% em 2014.

Apesar de os motores diesel poluírem menos do que os a gasolina, a queda na comercialização de híbridos pode atrapalhar a meta dos EUA de ter carros cuja média de consumo de combustível seja de 23 km/L até 2025.