imprimir
AUTORES: Ana Lúcia de Lima (IQ/UFRJ, quimicaanalucialima@gmail.com), José Sebastião Cidreira Vieira (IFMA-Campus Zé Doca, sebastiaocidreira@ifma.edu.br), Célia Machado Ronconi (IQ/UFF, cmronconi@id.uff.br), Claudio Jose de AraujoMota( IQ e EQ/UFRJ, cmota@iq.ufrj.br).

RESUMO: O biodiesel é composto por ésteres metílicos ou etílicos de ácidos graxos, produzido por meio de transesterificação de diferentes fontes de lipídeos na presença de catalisadores ácidos, básicos ou enzimáticos, sendo ainda homogêneos ou heterogêneos. Em catálise homogênea, as reações são mais rápidas em condições reacionais brandas. No entanto, os catalisadores não são reutilizáveis e são necessárias várias etapas de lavagem, resultando num enorme consumo de água e geração de efluentes.1 A catálise heterogênea permite a remoção do catalisador e a reutilização subsequente sem a necessidade das etapas de lavagem. Devido a estas vantagens, o uso da transesterificação via catálise heterogênea aumentou consideravelmente na última década.2 Materiais de sílica do tipo MCM-41e SBA-15 podem ser funcionalizadas com compostos orgânicos gerando materiais híbridos com diferentes funcionalidades como catalisadores.

Trabalho Apresentado no 6° Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel e 9º Congresso Brasileiro de Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel.

Trabalho completo: Livro 2, p. 729

Por Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel