imprimir

A Venezuela e a Palestina assinaram um novo acordo em matéria energética que prevê que técnicos venezuelanos formem profissionais palestinianos em matéria energética e de manuseamento de combustíveis.

O acordo foi assinado no sábado, pelo ministro venezuelano de Relações Exteriores, Elías Jaua, e o seu homólogo palestiniano, Riad Al Maliki, em Caracas.

“É um acordo solidário de cooperação e formação da nossa indústria petrolífera para os técnicos da indústria palestina, em matéria de distribuição e manuseamento de combustíveis”, explicou Elías Jaua.

O ministro venezuelano sublinhou que “o Estado palestino sofre, há décadas, um bloqueio criminal, um assédio permanente, a impossibilidade de aceder livremente a fontes de energia, de alimentos, de transporte e por isso, esse povo tem uma vital importância para a Venezuela”.

Elías Jaua frisou ainda que a Venezuela e a Palestina trabalham para conseguir um contrato de abastecimento de diesel, ao povo palestino.

“Apoiamos o povo palestiniano na sua luta pela criação de um Estado livre e independente (…) a heroíca resistência do povo palestiniano tem permitido que continue existindo e que cada dia a sua voz se ouça com mais força nos cenários internacionais”.

Frisou ainda que “cada dia um maior número de países reconhecem a Palestina como um Estado livre e vamos continuar trabalhando a partir da Venezuela e da América Latina e Caribenha porque partilhamos essa posição de maneira maioritária”.

Para o ministro palestiniano Riad Al Maliki, o “acordo é muito importante” porque permitirá à Palestina “libertar-se do controlo, domínio e influência de países que há muito tempo querem, através do setor energético e não somente, a vida e o futuro de países como a Palestina”.

O acordo contempla ainda a construção de um centro oftalmológico no centro de Ramallah.