Rede de pesquisa vai fomentar políticas públicas para biocombustíveis de aviação

11/05/2017 - 16:00

Setor pode movimentar até R$ 5 bilhões em investimentos e gerar 60 mil empregos diretos no Brasil

No dia 24 de maio de 2017, instituições de pesquisa, empresas privadas do setor produtivo e consumidor e instituições governamentais se reunirão em Brasília-DF para o lançamento da Rede Brasileira de Bioquerosene e Hidrocarbonetos Renováveis para Aviação (RBQAV). O evento faz parte da programação do seminário “Biodiesel e Bioquerosene: sustentabilidade econômica e ambiental” promovido pela União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio), no Auditório do CNPq (SHIS QI 1 Conjunto B – Lago Sul, Brasília-DF).

Desde o final de 2016, pesquisadores de diversas universidades brasileiras vêm articulando a estruturação de uma rede de pesquisa em biocombustíveis de aviação. A RBQAV tem como objetivo a realização de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação no setor por meio de parcerias entre academia, indústria e governo.

Além disso, a Rede vai dar suporte à criação de políticas públicas e às ações viabilizadoras para a produção de bioquerosene e hidrocarbonetos renováveis, contribuindo para redução das emissões do mercado de aviação civil a partir de 2020, alinhada às metas da NDC brasileira e de crescimento neutro do setor, conforme os acordos internacionais dos quais o Brasil é signatário (CORSIA).

A iniciativa é fruto do diálogo entre os pesquisadores Donato Aranda (UFRJ/Ubrabio), Nataly Albuquerque dos Santos (UFPB) e Amanda Duarte Gondim (UFRN), MME, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) e representantes da iniciativa privada.

Planejamento de longo prazo

A concretização do plano de longo prazo para o desenvolvimento dos biocombustíveis de aviação no Brasil pode gerar investimentos de R$ 1 bilhão a R$ 5 bi em refinarias para produção de bioquerosene, e 60 mil empregos diretos, nos próximos anos. A estimativa foi apresentada pela Ubrabio ao MME, para subsidiar a estruturação do programa RenovaBio.

Segundo o diretor de Biocombustíveis do MME, Miguel Ivan Lacerda, o Brasil acerta ao apostar nos combustíveis renováveis e a proposta da plataforma RenovaBio é chamar os elos da sociedade e da indústria para construção de uma agenda transparente e estratégica, para que o setor possa crescer com “previsibilidade, tranquilidade e segurança”, conforme as palavras do ministro Fernando Coelho Filho.

No cenário internacional, empresas de aviação de 192 países – incluindo as que atuam no Brasil – se comprometeram a neutralizar o crescimento das emissões de carbono a partir de 2020 numa iniciativa coordenada pela Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO, sigla em inglês). “Uma das formas de neutralizar essas emissões seria usar biocombustível”, resume o diretor de Biocombustíveis de Aviação da Ubrabio, Pedro Scorza.

Scorza, que também representa a GOL Linhas Aéreas, empresa associada à Ubrabio, explica que o investimento nesta cadeia se justifica ambiental e socioeconomicamente, por ser uma solução efetiva para o cumprimento das metas de redução das emissões de gases de efeito estufa e que a companhia aérea tem interesse em comprar o biocombustível, desde que haja paridade de preço com o fóssil.

Um dos maiores gargalos para a substituição é o preço. “O combustível corresponde a 35% dos custos das empresas que fazem voos domésticos e 50% nas que atuam internacionalmente”, afirma.

“Tornar o setor aeronáutico mais sustentável é um desafio que pode ser superado com o desenvolvimento de cadeias de biomassa para produção do combustível renovável de aviação. Há quatro anos, a Ubrabio e a GOL vêm trabalhando na estruturação de uma cadeia para o bioquerosene, em conjunto com diversos stakeholders”, complementa.

Seminário

Para debater o futuro dos biocombustíveis no País, a Ubrabio realiza, no dia 24 de maio, o seminário “Biodiesel e Bioquerosene: sustentabilidade econômica e ambiental”. O evento também celebra os 10 anos de trajetória da entidade que representa nacionalmente a cadeia produtiva desses combustíveis renováveis.

O encontro pretende promover o diálogo entre setor produtivo, consumidor e distribuidor, governo, instituições de pesquisa e sociedade. Estarão presentes nos painéis representantes dos ministérios de Minas e Energia (MME), Meio Ambiente (MMA), Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), Relações Exteriores (MRE), Secretaria de Aviação Civil (SAC), Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Embrapa Agroenergia, Sindicom e FGV Energia, entre outros.

Pré-inscrições podem ser feitas clicando aqui.

Confira a programação:

PROGRAMAÇÃO

9h – Abertura

10:30h – Painel Biodiesel: A visão do mercado e novas oportunidades

11:30h a 12h00 – Debates

12h00 a 12h40 – Painel Bioquerosene: Combustíveis sustentáveis de aviação e a NDC brasileira

12h40 a 13h00 – Debates

13h00 a 14h30 – Almoço (livre)

14h30 a 16h30 – Painel Programa RenovaBio, Plataforma Biofuturo e Desafios      dos Biocombustíveis

16h30 a 17h00 – Debates

17h00 – Lançamento da Rede Brasileira de Bioquerosene e Hidrocarbonetos Renováveis para Aviação

Quando: 24 de maio de 2017 (quarta-feira), das 9h às 17h00
Onde: Auditório do CNPq – SHIS QI 1 Conjunto B – Lago Sul, Brasília-DF
Inscrições sob consulta: Gratuitas e limitadas. Solicitações devem ser feitas aqui
Apoio: MME, MCTIC, Embrapa/MAPA
Realização: UBRABIO

Leia também

Biocombustíveis devem atrair mais investimentos na próxima década

Por Ubrabio

União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene - Ubrabio - Todos os direitos reservados

SCN Quadra 01 Bloco C - nº 85 - Sala 304, Edifício Brasília Trade Center - Brasília/DF

CEP.70711-902 - Telefone (61) 2104-4411 - E-mail: faleconosco@ubrabio.com.br

  • Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis
  • Embrapa
  • Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
  • Ministério de Minas e Energia
  • Casa Civil
Redes sociais
  • Facebook
  • Flickr
  • YouTube
  • Twitter
Moringa Digital Clique e conheça