Evento discutirá cultura da macaúba na Zona da Mata

27/04/2017 - 09:39

A Prefeitura de Juiz de Fora, em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Gado de Leite) e Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater MG), realiza hoje (27/04) o Workshop A Cultura da Macaúba: aspectos produtivos, ambientais e mercadológicos voltados para a região da Zona da Mata Mineira.

O evento, que é gratuito e acontece a partir das 8h15, pode ser acompanhado ao vivo aqui.

Destinado a produtores rurais, profissionais das áreas agrícolas, biológicas, bioquímica e ambientais, lideranças políticas e estudantes, o evento tem como objetivo apresentar e discutir a cultura da macaúba, seus aspectos agronômicos e o potencial mercadológico na Zona da Mata mineira. A programação inclui palestras e mesa redonda com técnicos, especialistas e doutores.

O Workshop conta com o apoio do Governo de Estado de Minas Gerais, Emater-MG, Universidades Federais de Juiz de Fora, Viçosa e Lavras, Grupo de Trabalho, Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI-Mata), Ubrabio, Gol Linhas Aéreas e Curcas Diesel Brasil.

Sobre a macaúba

A cultura da macaúba, palmeira nativa do Cerrado e Mata Atlântica, apresenta uma elevada produtividade na fabricação de óleos e biomassa proteica e se apresenta como uma alternativa em processos de reflorestamentos, compensações, recuperação de áreas degradadas e aumento da recarga hídrica de mananciais e cursos-d´água, garantindo, ao mesmo tempo, a recuperação ambiental e o aumento da renda média das propriedades rurais.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, João de Matos, destaca a importância do evento para atender à demanda dos representantes do setor do agronegócio: Vemos a possibilidade de o projeto de implantação de um centro produtor de macaúba na Zona da Mata fazer com que produtores rurais possam auxiliar na preservação de mananciais em suas propriedades e aumentar a renda com subprodutos extraídos, que podem ser matéria-prima para a produção de alimentos, cosméticos, produção de energia e combustíveis renováveis.

O projeto de implantação de um centro produtor de macaúba e o desenvolvimento de sua cadeia produtiva na região surgiu a partir da Agenda de Desenvolvimento da Zona da Mata, instituída em 2011, formada por lideranças empresariais, políticas e sociedade civil da Zona da Mata, como forma de intensificar o desenvolvimento socioeconômico regional.

Em 2013, a Prefeitura de Juiz de Fora ratificou seu compromisso institucional com a Agenda e com o desenvolvimento regional, criando em sua estrutura uma Coordenação de Projetos. Foram, então, elencados projetos estratégicos que favorecem o desenvolvimento da região, como é o caso o projeto da macaúba, que tem por objetivo central diversificar e fortalecer as atividades agropecuárias na Zona da Mata a partir dos princípios da sustentabilidade, explica o coordenador da Agenda, Jackson Fernandes.

Integração com o Programa Produtor de Águas

O secretário de Meio Ambiente, Luis Claúdio Santos Pinto, explica que a iniciativa do projeto sobre a macaúba é uma derivação do Pagamento por Serviços Ambientais, lei de origem do Executivo, que visa a estimular os produtores no trato sustentável e econômico de suas propriedades, assim como o Programa Produtor de Águas, que busca remunerar os produtores rurais pela proteção dos recursos hídricos, de forma a aumentar e melhorar a qualidade da água no município. A lei foi sancionada em 2016, criando as bases legais para implantação do Programa, destinado a estabelecer ações que visam a melhorar a qualidade e elevar a geração do volume de água nos mananciais estratégicos: Represa Dr. João Penido e Ribeirão Espírito Santo.

Para Jackson Fernandes, a convergência de objetivos observadas entre o Programa Produtor de Águas e o Projeto da Macaúba na Zona da Mata e a integração operacional de ambos projetos criam uma escala capaz de gerar importantes impactos sustentáveis na Zona da Mata e em Minas Gerais. Pode, inclusive, contribuir significativamente com as metas ambientais assumidas pelo governo brasileiro na ONU, formalizadas no Acordo de Paris e de Marrakesh, destaca.

Alternativa sustentável para produção de combustíveis renováveis

A qualidade do Projeto da Macaúba na Zona da Mata chamou a atenção da União Brasileira do Biodiesel e do Bioquerosene (Ubrabio), que vem desenvolvendo ações destinadas a viabilizar a produção de bioquerosene de aviação no país, através da Plataforma Brasileira do Bioquerosene, como forma de reduzir as emissões de carbono do setor. Durante a Conferência Internacional da Organização da Aviação Civil Internacional (Icao), órgão ligado à Organização das Nações Unidas (ONU) responsável por definir as políticas internacionais do setor, realizada no Canadá, em fevereiro de 2017, a entidade listou e apresentou o Projeto da Macaúba na Zona da Mata, elevando o seu potencial de receber, futuramente, recursos internacionais oriundos do fundo do clima.

Apoiadora do Workshop, a Superintendência de Desenvolvimento Agropecuário da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento tem como uma das atividades prioritárias incentivar ações que tenham como premissa o fortalecimento e a ampliação das atividades inseridas na cadeia produtiva do biodiesel em Minas Gerais. Entendemos que, por meio do incentivo à inclusão do extrativismo e da inserção da agricultura familiar na cadeia produtiva do biodiesel, daremos maior visibilidade e fomento para a expansão da produção de macaúba, destaca o coordenador da Agroenergia na Superintendência de Desenvolvimento Agropecuário, Kamil Cheab, palestrante do evento.

Ele reitera que a implementação e execução de projetos, planos e ações que envolvam a cadeia produtiva da macaúba podem, não só possibilitar a estruturação de informações e tecnologias necessárias para o extrativismo sustentável de maciços naturais, bem como levar ao agricultor as informações necessárias para o manejo adequado da cultura: Pensamos que tais iniciativas têm papel fundamental para destacar o potencial da macaúba no conjunto de matérias-primas para a produção de biodiesel no Brasil e dar maior visibilidade aos diversos produtos originados do seu processamento.

O presidente da Curcas Diesel Brasil, Mike Lu, ratifica a importância do Workshop: Parabenizo a Prefeitura de Juiz de Fora pela iniciativa deste importante evento, orientado para a inserção da região no segmento de biomassa sustentável para produção de biocombustíveis e renováveis. A macaúba é uma das matérias-primas mais promissoras da biodiversidade brasileira e deverá ser o vetor de desenvolvimento sustentável da região, declara.

Por Portal Macaúba

União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene - Ubrabio - Todos os direitos reservados

SCN Quadra 01 Bloco C - nº 85 - Sala 304, Edifício Brasília Trade Center - Brasília/DF

CEP.70711-902 - Telefone (61) 2104-4411 - E-mail: faleconosco@ubrabio.com.br

  • Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis
  • Embrapa
  • Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
  • Ministério de Minas e Energia
  • Casa Civil
Redes sociais
  • Facebook
  • Flickr
  • YouTube
  • Twitter
Moringa Digital Clique e conheça