10 sintomas que indicam que a poluição do ar pode estar te deixando doente

03/10/2017 - 16:39

A poluição do ar já é responsável direta por mais de 8 milhões de mortes por ano, no mundo inteiro. Saiba identificar se ela está causando algum dano à sua saúde.

A poluição do ar é responsável por, em média, 8 milhões de mortes por ano . Esses dados são de um recente estudo da OMS, que ainda traz outros dados alarmantes: 92% das pessoas no mundo inteiro não estão respirando um ar saudável e estão expostas a níveis de poluição considerados nocivos à saúde.

A pesquisa mostrou, ainda, que pelo menos 3,7 milhões dessas mortes estão relacionadas com a poluição do ar causada pela queima de combustíveis em veículos, indústrias e usinas termelétricas . O que fazer nessa situação? A resposta aqui é informação e prevenção.

O que você precisa saber sobre poluição do ar

A poluição do ar, ou poluição atmosférica, é o termo utilizado para dar nome ao processo de contaminação do ar por agentes poluentes , que são nocivos tanto ao meio ambiente quanto aos seres que nele habitam, inclusive você.

Entre os principais poluentes estão os gases. Eles podem ser emitidos por fontes naturais, indo desde atividades vulcânicas até o metano liberado pelos animais. Inclusive, a grande demanda por carne bovina tem contribuído bastante com isso.

Outras fontes de poluição do ar são aquelas criadas pelo ser humano e, em sua maioria, envolvem a queima de combustíveis. Indústrias, queimadas na agricultura, usinas, caminhões, ônibus, e o seu carro ou moto estão entre os principais vilões da atmosfera. Sprays, aerossóis e solventes também têm sua parcela de participação para a poluição, inclusive para o aparecimento de buracos na camada de ozônio.

Principais poluentes

Monóxido (CO) e dióxido de carbono (CO2)

O Monóxido de Carbono ajuda a dificultar o transporte de oxigênio pelo sangue, enquanto o Dióxido de Carbono quando chega na atmosfera contribui para o aumento da temperatura do planeta.

A boa notícia é que o CO2 é um dos principais elementos da fotossíntese das plantas e do plâncton marinho, ou seja, eles ajudam a diminuir a quantidade de CO2 na atmosfera.

Clorofluorcarbonetos (CFCs) e Hidroclorofluorcarbonetos (HCFCs)

Esses dois já são bastante conhecidos de quem já acompanha o blog. Eles são alguns dos principais responsáveis pelos buracos na camada de ozônio e, consequentemente, por boa parte dos casos de câncer de pele no mundo. Veja por que isso acontece clicando aqui.

Óxido de enxofre (SOx) e óxido de nitrogênio (NOx) Esses dois gases são bastante nocivos e, na atmosfera, são responsáveis pelo fenômeno conhecido por chuva ácida . O Dióxido de Nitrogênio (NO2) é, em particular, um dos mais nocivos à saúde humana. Ele é emitido principalmente por usinas termelétricas e siderúrgicas , escapamento de veículos e motores.

Material Particulado (MP)

O Material Particulado surge principalmente após erupções vulcânicas, tempestades de areia e nevoeiros, mas também através da ação humana com a queima de combustíveis fósseis. Os principais tipos de material particulado são o carbono negro e a fuligem . Eles são particularmente danosos ao coração, podendo levar a complicações cardíacas e à morte prematura por infarto.

Consequências da poluição do ar para a saúde

Um dos principais exemplos da nocividade da poluição do ar para a saúde e vida humana é o que acontece na China desde os anos 80 . Para você ter uma ideia, quando os níveis de poluição do ar atinge 6 vezes acima do aceitável, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o governo chinês tem que decretar a proibição de atividades ao ar livre, fechamento temporário de escolas e o cancelamento de voos.

De acordo com a OMS, na China, a poluição do ar é responsável por cerca de 1 milhão de mortes prematuras por ano . De acordo com o Greenpeace, outras 460 milhões correm risco direto de desenvolverem doenças respiratórias e cardíacas devido ao que foi denominado, em 2016, de Arpocalipse.

Por enquanto, aqui no Brasil, a situação não é das piores, são registradas 14 mortes devido à poluição do ar a cada 100.000 pessoas. As maiores vítimas são crianças e idosos que possuem o sistema imunológico e os órgãos mais frágeis que jovens adultos, por exemplo.

Doenças causadas pela poluição do ar

Apesar de estarmos em uma situação mais favorável que países como a China e a Índia, a OMS alerta que mais de 90% da população está respirando um ar que não é considerado limpo e, apesar de não causar mortes, ainda pode causar doenças, principalmente problemas respiratórios e cardíacos.

Entre as principais doenças causadas ou potencializadas pela poluição do ar aqui no Brasil, podemos citar:

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)

Bastante perigosa, a DPOC causa a destruição dos alvéolos pulmonares. Como consequência, ela pode desencadear infecções e inflamações em todo o sistema respiratório.

Asma

Apesar da asma ter grande influência genética, a poluição do ar é um agente que favorece o aparecimento de crises tanto em quem já é diagnosticado com asma quanto por quem não era predisposto ao problema.

Rinite

A rinite é uma doença de ordem alérgica e se manifesta principalmente nos olhos e no nariz.

Bronquite

Da mesma forma que a rinite, a bronquite se desenvolve a partir de alergias e causa a inflamação aguda ou crônica dos brônquios.

Câncer de pulmão

Uma das complicações respiratórias mais graves, o câncer de pulmão é uma das doenças que mais mata por causa da poluição do ar , principalmente se este estiver contaminado por Material Particulado (MP). O MP tem a capacidade de se infiltrar no sistema respiratório e penetrar nos pulmões.

Como identificar um problema respiratório

De maneira geral, os problemas respiratórios, tanto os mais complexos quanto os mais simples, compartilham alguns sintomas em comum em suas fases iniciais. Ao detectar um ou mais dos sintomas abaixo, principalmente em crianças e idosos, busque imediatamente orientação médica.

- Dificuldade para respirar

- Tosse (seca ou com catarro)

- Sensação de aperto no peito

- Chiado ao respirar

- Dor nas costas (ao respirar ou crônica)

- Congestão nasal

- Coriza

- Perda de apetite

- Fraqueza e perda de peso

- Perda de fôlego durante atividades físicas

Vale lembrar que só identificar os sintomas não leva a um diagnóstico claro de qual doença está se desenvolvendo e apenas um médico especialista pode diagnosticar e prescrever o tratamento correto.

Por Climatempo

União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene - Ubrabio - Todos os direitos reservados

SCN Quadra 01 Bloco C - nº 85 - Sala 304, Edifício Brasília Trade Center - Brasília/DF

CEP.70711-902 - Telefone (61) 2104-4411 - E-mail: faleconosco@ubrabio.com.br

  • Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis
  • Embrapa
  • Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
  • Ministério de Minas e Energia
  • Casa Civil
Redes sociais
  • Facebook
  • Flickr
  • Linkedin
  • Twitter
  • YouTube
Moringa Digital Clique e conheça